Blip for startups o programa que vai fazer diferença no mercado conversacional

Oi blip sugiro criar um programa blip for startups

Aplicar a tecnologia em novos contextos de uso e demonstrar case de usos é muito difícil para startups: Projetos de startup precisam de apoio para decolar

Criar na blip um programa de parceria e apoio para startup: * grandes empresas já atuam no fomento de novos negócios de startups*

Grandes empresas já mantem seus ecossistemas de inovação. Google for startups, localiza mantem o orbi em bh raja valley mineração, enfim, grandes player dos negócios movimentam o ecossistema de inovação com apoio aceleração, mentoria.

Aqui na blip poderiamos ter um programa assim, porque startup começam com projetos inovadores e precisam de ajuda para escalar.

Sou uma startup de aplicação de tecnologias conversacionais no setor de saúde que procura apoio para apresentar projetos de case de uso para potenciais clientes. Não consigo ajuda da take para construir projetos novos a partir de novas ideias.

O programa poderia garantir mentoria aos participantes, acesso a suporte subsidiado, uso da plataforma subsidiado, meios de pagamento e outros serviços de contas pagas até a startup crescer e iniciar suas vendas.

1 curtida

Olá!
Compartilho da sua ideia, Guilherme!
Também tenho uma startup no setor de saúde e estou testando um MVP com a Blip.
Tenho estudado a plataforma, mas não sou desenvolvedora o que limita o uso de muitos recursos, então ter um programa com mentorias seria excelente.
Abraço!

1 curtida

A take é uma empresa tão avançada que cabe muito bem um programa igual google for startups, ou apoiar e incentivar as startups como os grandes ecossistemas do orbi de bh (mrv, hospital materdei, localiza) ou raja valley (arcelor mittal).

Um programa de apoio para startups com soluções tecnologicas em plataformas conversacionais ajudaria muito porque como startup e projetos e ideias novas para aplicação de tecnologias conversacionais lidar com o mercado e mostrar a utilidade e oferta de valor dos agentes conversacionais é um grande desafio.

O que o programa poderia oferecer seria apoio no plano de uso da plataforma, acesso ao suporte, mentorias, networking entre os participantes, rodadas de negócios com clientes para soluções conversacionais, acelerações, incubações, pitch days.hackatons de desafios, integração com dados,novos negócios com tecnologias conversacionais.

Como se diz aqui em Minas Gerais, a take, está com a faca e o queixo na mão.

espero o programa take for startups no próximo take con.

2 curtidas

oi @Cristina_Macedo se você tem startup com blip na área de saúde, venha conversar comigo, estou precisando de aumentar meu time para inúmeros projetos e editais que estão ativos.

Oi @Guilherme_ribeiro_ca tenho sim e estamos usando o Blip para testes.
Vamos conversar, tenho muito interesse nessa área!
Como podemos fazer para entrarmos em contato?

podemos agendar uma call, meu whatapps é 31 999572799 email [email protected]

1 curtida

Combinado!
Envio mensagem amanhã @Guilherme_ribeiro_ca :raised_hands:t2:

Fala Guilherme, Entendo sua colocação quanto subsidiar startups e acho uma ótima ideia!

Apoio!

Mas o corebiz deles é esse, vender serviços e plataforma, A Blip já tem um programa de parceiros e tem expandido essa atuação trazendo esses parceiros para junto e conferindo vários treinamentos e suportes. Uma startup que foque em se certificar como parceiro e em desenvover healthcare bots seguramente seria bem acolhida. A Blip Academy tem várias trilhas de aprendizado, e não requer muito para o aprendizado auto-didata, eu comecei por essa via.

oi Eduardo, entendo que a take hoje quer fazer parcerias com serviços e fábricas de chatbot, já estabelecidas e com clientes. As startups ainda estão numa fase pré empresas formalizadas e podem ser apoiadas com o modelo de incubação e aceleração de startups. No meu caso, desenvolvo soluções especializadas para a saúde além das soluções mainstream ou habituais. Meu mercado ainda está um pouco mais a frente, como não tenho clientes, fico sempre sem poder participar do programa de parcerias da take apesar de já estar aqui desde 2018. Já tentei conversar com a take para parcerias e porque apresentei um site provisório, e meu número de funcionário é menor que 4, nem passo pelo processo de avaliação de um contato humano. Hoje o modelo atual da take de parcerias é apenas com empresas consolidadas e da área de vendas e marketing, outros nichos de mercado ainda são pouco explorados. A take poderia focar em outras etapas das empresas como ideias, mvp, hackaton e startup week, weekend, enfim, modelos ou ações que podem criar público de dev, uw, negócios novos, contato com especialistas que vão além do programa de parceria. A take como qualquer empresa de tecnologia hoje também precisa de recursos humanos. Hoje a take apenas prática essa captação com bootcamps (dio como exemplo). Ainda mantenho essa afirmação que a take como empresa de aplicação de novas tecnologias poderia se beneficiar muito com programas e ações do ecossistema de startup e desenvolvimento de inovações tecnológicas.

1 curtida